incontri online
Entrada Traições

Traições

Chifre na Tia no meu Aniversario

ATENÇÃO: ESTE CONTO TEM FOTOS SE ENVIADO POR EMAIL ------------ DISPONBILIZO TAMBEM VIDEO DE ENTREVISTA COMIGO PRA QUEM ME PEDIR PRO EMAIL: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar MAS NÃO ESQUEÇAM DE MENCIONAR QUE É PRA ESTE CONTO. Neste fim de semana 24.Janeiro.2010 foi meu aniversário. Na 6ª feira eu estava meio tristinha pois não teria como comemorar à meia noite de sábado para domingo com qualquer amigo, visto que todos estavam de férias e viajando. Meus pais combinaram a festa só para a tarde de domingo, daí que meu sábado a noite ia mesmo passar em branco comigo no máximo vendo TV. . Pra minha salvação meu tiozinho e minha tia me ligaram. Eles não são tios de verdade mas sim amigos da família há anos e eu os chamo de tios, e eles sempre me deram conselhos, e me ajudaram em vários casos, por isso gosto muito deles. . Vendo minha tristeza, meus tios bolaram de ir para um hotel lindo no Rio de frente para uma prainha com uma pedra enorme na frente, e me convidaram para dividir o quarto com eles e jantarmos chique no hotel. Topei na hora, mesmo sabendo que aquele tiozinho tinha a maior tara em mim. . Me apanharam de tardezinha no sábado e me levaram para o Hotel. Putz !! Fiquei maravilhada com o lugar, as piscinas e sobretudo com o quarto com aquela mega vista para o mar e a praia com a pedra lá em baixo. Trocamos de roupa e fomos logo pra piscina. . Meu tio e eu entramos na água pelo lugar mais rasinho e minha tia foi ao bar procurar um garçon para nos atender. Meu tio na mesma hora aproveitou a deixa e me pegou no colo dentro d’água dizendo que ia me ensinar a flutuar. Ficou alisando minhas pernas e minhas costas depois chegou a mão das pernas para a altura da minha bunda e ficou me segurando só pelo bumbum e apertando ele. Fiquei com vergonha dele se aproveitar de mim assim em público e também com medo que minha tia visse. . Tentei me desvencilhar, mas ele me sentou sobre seu joelho/ coxa, com uma perna minha de cada lado e ficou roçando de levinho sua coxa contra o meu biquíni na altura da minha bocetinha, e falando que eu tava lindinha e que meu namorado devia ser um sortudo. Comecei a sentir uma quentura na minha bocetinha com aquela perna peluda me roçando dentro d´água, mas nadei pra longe dele, senão ia dar galho com certeza. Dito e feito, minha tia voltou logo a seguir com 3 drinques na mão, mas parece que não notou nada. . Ao cair da noite resolvemos ir para o quarto, tomar banho e nos prepararmos para o tão encomendado jantar de pre’- aniversário. Chegamos no quarto e minha tia pediu para ser a primeira a tomar banho, deixando meu tio de calção e eu de biquíni, ambos molhados vendo a vista pela janela. Meu tio aproveitou na hora, logo que minha tia fechou a porta para me encoxar por trás e falar quente no meu ouvido que queria que eu mostrasse a minha bundinha e bocetinha pra ele. Sussurei: Tá maluco tio ? E se a tia vê ? - Não vai ver nada. Já entrou no banho. Sobe na cama e deixa o tio baixar a parte de baixo do teu biquíni só um pouquinho. . - Não tio, tô com medo.. e com vergonha.. Mas o tio era safado e foi me puxando gentilmente pelo braço pra beirinha da cama e me fez ficar de quatro sobre a cama e abaixar a cabeça em sinal de submissão e mesmo com eu tentando puxar pra cima, abaixou o meu biquíni até o meio das minhas coxas e me sussurou pra ficar quietinha. . Ai que vergonha.. eu ali com meu cuzinho e minha bocetinha ao vento e aquele coroa tarado me abrindo as nádegas e me olhando fundo no rabo. Da vergonha passei novamente a sentir aquele calor na xana que me deu antes na piscina. Aí senti o calor da respiração dele na minha bunda e logo a seguir a ponta da língua do malandro no olho do meu cuzinho. Contive um gritinho de susto pois mesmo escutando a água do chuveiro caindo, e minha tia cantarolando, ela podia ouvir. Resultado.. levei língua no meu rugosinho por alguns minutos, me agarrando no lençol da cama e mordendo os lábios para não gritar de tesão. Aquele safado lambia bem a bessa. . De repente meu tio enfiou o dedo indicador dele na boca e molhou com bastante saliva, introduzindo a primeira falange no meu ânus sem nem me alertar. Não consegui segurar e gritei: Aaaaai tio, assim não... A água do chuveiro de minha tia tinha acabado de ser desligada e ela ouviu e falou lá de dentro: Que que tá havendo aí no quarto gente ? Nada não ! disse meu tio. Derramou um pouco de coca cola só . - Para tio.. para.. que ela vai ver.. e eu tentava sair daquela situação embaraçosa, mas o safado baixou e tirou completamente meu biquíni e enterrava ainda mais o dedo dentro do meu cú, deixando cair sua saliva na entrada do meu ânus. Só parou mesmo quando ouviu minha tia começar a abrir a porta do banheiro, e eu pulei pra debaixo do lençol. Meu tio com a maior cara de tacho disse que ele seria o próximo a tomar banho e com muito cuidado, enquanto minha tia procurava uma roupa na mala, eu mais que rápida- mente vesti a parte de baixo do meu biquíni por baixo das cobertas. . Quando meu tio saiu do banho, entrei rapidamente no banheiro mas agora morrendo de tesão com o que tinha acontecido e quando já estava debaixo da ducha ouvi eles dizerem pra mim que iam descer na frente para conseguir uma boa mesa no restaurante. Resolvi devolver a sacanagem e coloquei um bustiê negro com desenhos e uma minisaia, mas ignorei a calcinha. Minha mente estava ficando perversa.... . Cheguei no restaurante e me sentei do lado da minha tia e de frente para o tio sacana. Pedi um suco de laranja e enquanto minha tia fazia o pedido dela, deixei de propósito cair um garfo no chão olhando para o meu tio, que se abaixou para apanha-lo no momento em que abri bem minhas pernas para que ele visse lá dentro da minha bucetinha depiladinha. Êle voltou a se sentar quase branco que nem cera de vela. Comecei a rir e minha tia não entendeu nada. . Dei uma piscadinha discreta de olho pra ele enquanto minha tia vistoriava o cardápio e logo depois senti o pé descalço do tio entrando entre minhas coxas até o dedão dele encostar na minha racha. O safado pegou a máquina de retrato e começou a me fotografar enquanto conversava com minha tia como se nada tivesse acontecendo por baixo da mesa, mas seu pé ficou me massageando o púbis e eu me molhando completamente com a inusitada sacanagem. . No que ele senti que seu dedão do pé estava encontrando terreno alagado tentou enfiá-lo na minha bucetinha, mas aí fiquei com medo mesmo e me levantei dizendo que ia ao banheiro. Na volta ele já se comportou e não tentou de novo. O jantar então foi tranqüilo, e ainda fomos lá pra fora para ele fumar um cigarro antes de irmos para o quarto dormir. . No quarto procurei na minha maleta mas tinha esquecido meu pijaminha, de sorte que tive que dormir só de calcinha e uma camisetinha. Minha cama.. por azar (ou sorte) ficava do lado dele na cama de casal. Demorei a dormir, com o corpo quente e a xoxota ainda melada da experiência no restaurante, mas embalada pelo barulho do mar acabei finalmente apagando. . De madrugada senti a mão dele me apalpando a bunda enquanto minha tia roncava a sono solto. Resolvi deixar pra ver até onde ele ia, e senti seus dedos entrarem por baixo da minha calcinha até me acariciarem o cú e daí direto para minha bocetinha. Comecei a rebolar a bunda bem devagarzinho e a empiná-la o mais que podia. Os dedos grossos e cabeludos do tio então perfuraram minha pobre bucetinha e iniciaram uma siririca cadenciada. . Novamente tive que me conter para não gritar, mas desta vez de prazer. Seus dedos entravam e saiam da minha xana rodando lá dentro e beliscando meu grelinho. Com minhas duas mãos abri as bandas da minha bundinha de garota e deixei ele se esbaldar. De repente minha tia grunhiu e pareceu que ia acordar, daí meu tio tirou o dedo da minha racha e fingiu dormir. O resto da noite foi tranqüilo. . Minha tia acordou primeiro e me avisou que ia fazer umas comprinhas na boutique do hotel e segurar uma mesa para o café da manhã. Gelei.. eu ia ficar sozinha com meu tio... Logo que titia bateu a porta olhei meu tio mas ele parecia querer continuar a dormir, daí resolvi tesá-lo. Tirei toda minha roupa e fui aproveitar o nascer do sol da varanda nuinha em pelo. Meu tio deve ter acordado e se sentido no paraíso, com aquela sobrinha postiça peladinha com uma tatuagem linda apreciando o mar e de rabinho gostoso e pernoquinhas de boneca virada de costas para o seu deleite. Ouvi ele pegar a câmera digital na cabeceira e começar a tirar fotos seguidas do meu rabo. . Daí ele largou a câmera, me abraçou por trás já completamente nu e com o pau grosso e durão enterrando entre as minhas coxinhas. Me deu um beijinho no pescoço, lambeu minha orelhinha, deu um soprinho no meu ouvidinho, e disse: - Vem brincar com teu tiozinho, vem minha coelhinha... Me arrepiei toda. Agora fudeu, pensei. Vou dar pra esse coroa mesmo, então que seja... . Me ajoelhei de frente pra ele e abocanhei com gosto aquele rolo de carne com as veios e nervos aparecendo de tão inchado que tava, e mamei como uma bezerrinha. Meu tio gania de prazer e me forçava com as mãos a engolir cada vez mais seu mastro que já começava a esbarrar no início da minha garganta, me fazendo produzir saliva em excesso que escorria pelo canto da minha boca cada vez que ele tirava o pau da minha boca, para logo depois enterra-lo de novo até o cabo, deixando as bolas gordas baterem no meu queixo. Uma hora lá pensei que ia sufocar daí ele retirou a vara da minha boquinha e disse: . - Agora você vai provar o cacête nessa sua bocetinha de universitária. E me jogando na cama, afastou minhas pernas, passou a língua grande na racha toda, deu uma cuspida (que susto) na minha cona e assestou a chapeleta inchada daquele cacete grosso na minha boquinha de baixo. Foi gentil o safado. Enterrou devagarzinho mas firmemente todo o comprimento do seu caralho, nela. - Aiii que gostoso, tio.. Vai, come, você quer né, então come a bucetinha da sua sobrinha, vai coroa sacana. Arromba mesmo minha xana. Deixa só os ovos de fora... aaaaaaaahh . De repente sacou a vara toda e caiu de boca de novo na minha xota, desta vez numa manobra bucal que eu nunca tinha visto ou sentido antes. Aterrisou com a boca de lado no meu grêlo altinho e começou a suga-lo sem fazer força mas sem tirar a boca juntando saliva e rolando minha carne como se estivesse esfregando roupa no tanque. Que sensação incríiiivel. Segurei-lhe a cabeça e disse: - Não para tio... Não para... Jesus do céu ki coisa boa... Nunca senti assim.. Aaaaaai... E meu tio pra completar enfiou um dedo na minha xana, melou bem e sem piedade cravou no meu cuzinho. Foi a conta, desandei a gozar copiosamente e a gritar de prazer. . Daí ele me montou de novo e mais vara recebi na xota. De repente me pegou pelas ancas, me levantou no ar ainda enfiada no cacête dele, e se sentou na cama me fazendo montar a cavalo. E amazona eu fui, rebolando lentamente sobre aquele senhor que me levava às estrelas e de volta à terra em breves segundos. Agarrado aos meus peitinhos ele balbuciava palavras ininteligíveis, enquanto eu arqueava a bunda sacando seu pirú até quase sair a cabeça e depois remergulhando a vara até o talo na minha cona. Mas ele não queria gozar e subitamente se desvencilhou de mim e disse que ia procurar um creminho no banheiro. . Aproveitei para pegar um tablete de chocolate Toblerone que eles tinham recém aberto e me deitei de bundinha pra cima colocando o toblerone primeiro entre as pernas e depois sobre a bundinha. Quando ele voltou do banheiro e se deparou com a cena exclamou: É pra escolher ? Eu disse: Sim, só pode comer um dos três. E ele: - Deixei de gostar de chocolate... Vou é comer esse cú !!! . - Ai tio, tem certeza ? Não quer de novo a bucetinha ? - Nãaaaaaaaao. É no rabinho que você vai levar agora. Vamos, deixa de beicinho e fica de 4 com o cú bem aberto que eu vou te preparar para a tua experiência divina. Fiquei de quatro e ele enterrou seu dedo fundo no meu cú já previamente besuntado com o creminho da minha tia. enterrou e girou o dedo varias vezes no meu rabo e me mandou calar a boca sempre que eu dizia que já tava bom. . Vou ficar sem varias pregas, pensei.. Mas o tesão que eu estava com aquilo tudo e principalmente Com a possibilidade da minha tia voltar de repente e nos pegar Naquena faina surreal, me faziam ansiar por levar na bunda. . - Vai tio, bota logo que não agüento mais de tanta tesão. - Calma garotinha que tua olhota já vai sentir o trem. Senti ele subir na cama e colocar uma perna encostada Em cada lado do meu corpo e mirar aquela geba dura No olho do meu cú. Tô perdida, pensei, vai entrar até a garganta. E assim foi, centímetro por centímetro meu cú agüentou Rangendo a invasão daquele membro colossal. - Aaaaaaaai, cacête.. Como é grande essa porra desse pau. Num acaba nunca não tio ? Já to sentindo ele no umbigo. . - Agueeeeenta Nadine... Relaxa o cú... vai.. respira fundo.. Isssssso.. Agora solta o ar que a vara escorrega sozinha Pra dentro dessa bundinha de princesa. - Nosssssa senhora.... Puta kiupariu... arrombou tudo... Chega.. chega... tá bom só até aí... - Tá nada. Cala a boca e mergulha a cabeça no travesseiro . Daí ele então tirou o pau do meu cú, sentou-se na beira da cama. Me fez sentar de frente pra ele e deixou meu corpo cair pra trás até minha cabeça e meus ombros aterrisarem num travesseiro caído no chão, ficando minhas pernas balançando no ar e meu cú e buceta à mostra pra ele, e então o sacana do coroa ficou em pé e mergulhou a pica no meu ânus de novo com toda a vontade socando tudo que tinha direito. . Aproveitei a deixa e posição e toquei uma siririca vigorosa, mas deixei a boca aberta enquanto gritava de gozo. Foi o bastante para ele sacar o pau do meu cú e deixar cair aquele leite todo na minha boquinha desde la’ de cima. Olhei firme nos olhos dele e... engoli tudo. - Tio gostoso... Agora tô com seu leitinho dentro de mim. . Subi na cama e me esparramei nela, enquanto meu tio me olhava, tirava mais fotos e dizia: - Mas que sobrinha sacana. Leva na bucetinha e no cuzinho e continua rindo.. Safada, ainda vou comer muito esse cú. Logo depois nos vestimos e meu tio resolveu gravar uma entrevista comigo na varanda. Posso enviar esse vídeo a quem me pedir (informe seu email) para o meu email: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar Descemos então para o café da manhã encontrando a tia toda entretida com brioches e queijinhos, panquequinhas ao mapple e ovos mexidos com bacon. - Demoraram vocês dois.. O que houve ? - A Nadine é uma dorminhoca, meu bem. Não acorda nem pro aniversário dela... . O que não ia acordar tão cedo era meu cú, que ficou dormente até de noite com a pirocada que levou.... Antes de sairmos do hotel, pedimos ao porteiro para tirar uma foto nossa com uma parede atrás onde havia uma cabeça de alce com chifres bem longos. Sem querer (querendo) a tia ficou exatamente debaixo e na frente da cabeça, de sorte que na foto a galhada apareceu certinho... tadinha.... Mas que fazer.. o tio é gostoso mesmo... . Beijinho Nadine

Ler mais: Traições



Adicionar aos teus Social Bookmarks favoritos
Reddit! Del.icio.us! Mixx! Free and Open Source Software News Google! Live! Facebook! StumbleUpon! TwitThis Joomla Free PHP
 

Adoro ser corno

Nunca pensei gostar tanto de ser corno , mas antes deixei-me apresentar-me , chamo-me , Pedro tenho 49 anos casado com a Isabel á 23 anos , temos um filho com 20 anos e uma filha com 19 , a minha mulher apesar dos dois filhos e dos seus 47 anos tem um corpo de fazer inveja a muitas raparigas novas , fui o primeiro homem dela e até á 2 anos o unico , a situação mudou depois de muita insistência minha e durante muito tempo para ela dar a outro , nas primeiras vezes em que lhe falei no assunto ela ficou mesmo brava comigo , com o passar do tempo foi baixando a guarda e pouco a pouco foi dando sinais que mais dia menos dia alguma coisa poderia acontecer , começou por andar vestida mais sedutoramente , quando saía-mos só os dois sózinhos geralmente levava saia e decotes , começou pouco a pouco a fazer-me a vontade e ser um pouco exibicionista , quando por exemplo estavamos numa esplanada deixava á mostra as coxas e algumas vezes até a cueca , a situação acelarou uma vez quando á noite regressavamos a casa de Metro , vinhamos do Sr. de Matosinhos e o Metro vinha compleamente cheio , a certa altura ela diz-me que o fulano que estava atrás dela a tinha apalpado , curiosamente e contra o que eu esperava ela não o disse zangada , até me dava a impressão que estava a gostar , fiz de conta que nada se passava , passado mais um pouco ela aperta-me o braço e diz-me quase ao ouvido que o fulano estava a meter a mão por baixo da saia , como ela me parecia que estava a gostar simplesmente lhe sorri , ela volta a apertar-me o braço mas nada diz , tinha a boca entreaberta e noto que abanava ligeiramente a anca , espreito e vejo o fulano com a mão enfiada por baixo da saia que estava subida atrás praticamente até á cueca , quando voltei a espreitar , a cueca estava já um pouco descida e a mão por dentro , a minha mulher fechava os olhos , passava a lingua nos lábios e abanava a anca com mais força , aperta-me o braço varias vezes , encosta a cabeça á minha e diz-me " ai amor ele está a mexer-me na coisa ", dá um gemido fraco , o Metro para numa estação e entra mais gente ficamos ainda mais apertados , ela dá um gritinho e diz-me que o fulano tinha metido a piça no meio das pernas dela , mais uns segundos e ela diz-me que o fulano estava a esporrar-se nas coxas dela , quando espreito o fulano estava a sair de trás dela e meteu-se no meio das outras pessoas , ela diz-me que tinha a esporra a escorrer pelas pernas , saímos na estação seguinte , fomos a um café em frente e ela foi á casa de banho limpar-se , depois de se limpar tomamos um café e voltamos á estação do Metro , não comentamos nada sobre o que se tinha passado , o resto da viagem até casa foi normal . A partir desse dia começamos a frequentar muito mais o Metro principalmente nas horas de ponta e nas horas tardias tipo 23h , 24h , nos primeiros tempos nada mais aconteceu tirando um ligeiro roço , um bela segunda-feira depois de jantar fomos até á baixa dar uma volta eram umas 21h , andamos por ali fomos ao Via-Catarina , nesse dia ela estava particularmente sexi , saia curta e uma t-shirt que marcava as mamas todas , deixava os bicos espetados , saímos do Via-Catarina por volta das 23h , fomos até á estação do Bolhão , como era habitual estava quase deserta , entramos no Metro e sentamo-nos estava mais um casal e um fulano sózinho , o casal sai na estação da Trindade , fica só o fulano , o tipo não tirava os olhos da minha mulher , ela como vinha sendo habito provocava-o , tinha as pernas abertas , o fulano tinha uma visão perfeita das coxas e da cueca , na estação do Carolina o Metro fica parado mais tempo que o normal , pelo sistema sonoro informam que havia um problema na linha e que iamos ficar parados uns 10m , decidimos sair , o fulano sai tambem , vem atrás de nós , já quase a chegar á saída para a Rua Oliveira Monteiro o fulano manda uma boca á minha mulher ( chama-lhe boazona ) ela olhou para trás e sorriu , como era de esperar ele interpretou isso como sinal de abertura , acelarou o passo e chegou-se mais a nós , volta a mandar-lhe um piropo , ela voltou a sorrir-lhe , para ver até onde o fulano ía depois da Rua Nossa Sª de Fátima metemos por uma rua á direita que não tem saída e que ao fundo tem uma espécie de parquesito dos predios , quando viramos olhamos a ver se ele nos seguia , o fulano estava quase colado a nós , dirigimo-nos ao parque , estava completamente deserto , olhamos em volta e não se via ninguêm as janelas dos predios todas fechadas , sentamo-nos num banco do parque , o fulano a sorrir aproxima-se de nós , pergunta-nos se nos importavamos que nos fizesse companhia , respondo-lhe que estivesse á vontade , ele senta-se ao lado dela , apresenta-se , diz chamar-se António , cmprimenta-me de mão e a ela dá-lhe dois beijos na cara , ficamos uns minutos na conversa de xaxa , enquanto conversavamos eu acariciava-lhe as pernas , o fulano ganha coragem e arrisca , pousa a mão no joelho dela e diz-lhe que a achava muito jeitosa , ela sorri , como nem ela e nem eu reagimos negativamente á mão no joelho ele aventura-se mais e começa a acariciar-lhe tambem a coxa , não demorou muito que a mão dele estivesse ao lado da minha a mexer na cueca , nessa altura ela pousa uma mão sobre a minha piça e aperta-a , a outra pousa-a sobre a piça dele e aperta-lha tambem , era a primeira vez que apalpava outra , no que me dizia respeito eu estava a adorar vê-la ali a agarrar outra piça , só esperava que fosse mais longe que não se ficasse só pelo agarrar , não foi preciso esperar muito para ter a resposta , pouco depois ele põe a piça fora das calças e ela lambe-lha e dá-lhe umas chupadelas , eu já me dava por satisfeito mas a ideia dele era ir mais longe , enquanto ela o mamava ele meteu-lhe dedos na côna , eu assistia aquilo deliciado , de vez em quando olhava em volta a ver se alguêm estava a ver , numas das vezes que olhei vi que havia um muro com uma saliencia que passava por trás de um correr de arbustos , digo-lhes que era mais seguro ir-mos para ali , ela pára de o mamar e vamos para trás dos arbustos , ela senta-se na saliencia e ele fica de pé á frente dela , volta a mama-lo , agora enquanto ela o mamava ele mete-lhe a mão dentro da T-Shirt e apalpa-lhe as mamas , via-se na expressão dela que estava satisfeita , ouviu-se o barulho de um carro a aproximar-se , ela pára de o mamar e ficamos quietos , o carro entra numa das garagens , mal o portão se fecha ele abraça-a por trás senta-se e puxa-a para o colo dele , roça-lhe a côna com a piça , ela olha para mim com olhos de desejo , levanta-a um pouco desce-lhe a cueca e volta a sentá-la , conforme a senta vai penetrando-a , ela morde os lábios , começa a cavalgá-lo lentamente , abre as pernas e vejo a piça a entrar e a sair da côna , fico delirante , de vez em quando ela dava uns gemidos abafados , ele levanta-lhe a t-shirt e apalpa-lhe as mamas , nunca a tinha visto com os bicos tão duros , começa a cavalgá-lo mais rápido , estremece e vem-se , faz um sacrificio enorme para não desatar aos gritos como é normal nela quando se vem , o fulano dá uns grunhidos e vem-se tambem dentro dela , abranda a cavalgada até parar , sai de cima dele , a esporra do fulano saía-lhe da côna e escorria pelas coxas , pede-me um lenço de papel , dou-lhe o unico que tinha , limpa-se o melhor que consegue , sobe a cueca e ajeita a roupa , saímos os 3 dali e voltamos á Rua Oliveira Monteiro , ele acompanha-nos até ao Carvalhido , despede-se de nós agradece e vai em direcção á rua da Constituição , nós andamos mais um pouco e apanhamos um táxi para casa . Tanto eu como ela estavamos super excitados , mal chegamos a casa fomos logo foder , ainda tinha esporra do outro nela , pareciamos dois adolescentes a explorar o corpo um do outro , á muito tempo que não fodiamos com tanta intensidade. Continuamos mais uns tempos a frequentar o Metro , alem de umas apalpadelas e de uma vez um ter metido a piça nas coxas nada mais se passou , andavamos os dois mortinhos por nova aventura , um dia em Setembro falamos em mudar de estrategia , tinhamos ouvido falar de uns bares em Matosinhos onde se podia engatar homens , decidimos ir dar uma vista de olhos , numa quinta-feira depois de jantar pergunto-lhe se queria ir a um desses bares , ela logo respondeu que sim , vestiu-se para arrazar , um vestido bem curto e bem decotado que se tinha comprado uns dias antes , sem soutien e com uma calcinha fio dental , estava deslumbrante , quando chegamos a Matosinhos fomos para a zona dos tais bares , o dificil era escolher qual , eu tinha ouvido falar em especial de um , procuramo-lo , não foi fácil pois estava bastante discreto , quando o encontramos entramos , mal entramos fomos logo abordados por um funcionário que nos encaminhou para uma mesa , pedimos duas bebidas , ficamos a apreciar o ambiente , estavam mais uns 2 ou 3 casais nas mesas um deles estava acompanhado por mais um homem e haviam uns 4 ou 5 homens sózinhos no balcão , depois de o empregado nos trazer as bebidas um dos fulanos que estava no balcão levantou-se e dirigiu-se a nós , apresentou-se como Mário e pergunta se podia fazer-nos companhia , convidamo-lo a sentar-se , senta-se do lado da minha mulher , pergunta se podia oferecer uma bebida , aceitamos , conversamos uns 10 ou 15m sobre variadas coisas , a certa altura o fulano convida a minha mulher para dançar , ela vai , dançam duas musicas e voltam a sentar-se , enquanto estavam a dançar o fulano apalpou-a imenso , ela vinha bastante afoguiada , conversamos mais uns minutos e ele volta a convidá-la para dançar , voltam a ir , desta vez apalpa-a ainda mais , dançam 3 musicas e voltam , ela antes de se sentar diz-me que ía á casa de banho , enquanto ela foi o fulano faz-me varias perguntas e comentários sobre ela , quis saber se eramos realmente casados e se sabiamos o que ali se passava , respondi-lhe que plenamente , nessa altura ele pergunta-me se podia estar á vontade com ela , respondi que sim , quando ela regressa ele levanta-se , ela senta-se no meio de nós , nem um minuto demorou a que ele estivesse a apalpar-lhe as coxas , ofereceu mais umas bebidas , voltaram a ir dançar , ele tanto lhe mexeu que quando voltam ela trazia uma mama quase toda fora do vestido , mal se sentam ele põe o braço sobre o ombro dela e deixa a mão sobre a mama esquerda , a que estava quase fora do vestido , mete um dedo dentro do vestido e passa-lho no bico , nessa altura ela pousa a mão dela sobre a piça dele por cima das calças , vejo a mão dela a acariciar-lha , ficam entretidos uns minutos , ele tira o braço do ombro dela , mete a mão de novo nas coxas , a saia do vestido sobe , nessa altura reparo que ela quando foi á casa de banho tinha tirado a cueca , estava com a conaça toda á mostra , ele passa os dedos entre as beiças , ela abre as pernas , ele diz-lhe qualquer coisa ao ouvido , ela sorri e abana a cabeça em sinal positivo , ele levanta-se e vai falar com o empregado e com o que estava atrás do balcão , regressa , diz que nada feito , perguntei o que tinha ido fazer , ele diz-me que saber se havia alguma sala livre , explica-me que nas trazeiras haviam 4 salas pequenas onde se estava mais á vontade , mas que infelizmente estavam as 4 ocupadas , entretanto vão dançar mais uma vez , voltam á mesa , ela volta a ir á casa de banho , enquanto ela vai ele diz-me que ela era muito jeitosa que tinha pena não haver sala livre , que gostava muito de ver bem como ela é , mal acaba de dizer aquilo o empregado vem dizer-lhe que havia uma livre , ele pergunta-me se queria ir para lá , eu respondo que podia ser , antes de mais nada ele diz-me que na sala se ela quisesse ele podia comê-la , se não havia problema , respondo que não , ela regressa , ele diz-lhe que já havia sala livre se ela queria ir para lá , ela olha para mim , digo-lhe que era com ela , ela fica uns segundos a olhar-me , sorri e diz para ir-mos , levantamo-nos e ele indica o caminho , fomos por um corredor até ao fundo , entramos numa porta que dava para outro corredor com várias portas , entramos na que estava aberta , era uma sala relativamente pequena , tinha uma mesa um sofá triplo e mais um single , duas cadeiras e um armário pequeno , ele e ela sentam-se no sofá grande eu sento-me no pequeno , em cima da mesa estava uma couvete com uma garrafa de champagne e 3 copos , ele serve-nos , brinda ao nosso encontro , pousa o copo e começa a acaricia-la nas pernas , pouco a pouco a saia do vestido vai subindo , ela estica-se no sofá , abre as pernas , eu tinha uma visão preveligiada da côna dela , ela apalpa-lhe a piça ainda dentro das calças , ele desce-lhe as alças do vestido e deixa-a com as mamas de fora , aprecia-as , toca-lhes , ela olhava para mim com uma cara de safada , via-se bem que estava a gostar daquilo , ele chupa uma mama , enquanto lha chupava as mamas mexia-lhe na côna , finalmemte põe a piça fora das calças , ela agarra-a logo e acaricia-a , olha para ela com cara de quem a queria devorar , ele põe uma mão na cabeça dela e faz força para baixo em direcção á piça , ela abocanha-a logo , mama-lha com vontade , ele fazia-lhe festas na cabeça , bufava , ela engolia a piça toda , eu assistia aquilo deliciado , ele começa a esfregar-lhe a côna , ela mama ainda com mais vontade , de vez em quando virava os olhos para mim , pára um pouco de o mamar endireita-se , ele aproveita e tira as calças , volta a sentar-se , volta a massajar-lhe a côna , ela estica-se toda no sofá com as pernas escachadas , ele bobra-se sobre ela e chupa-lhe as mamas , desce até ao grelo , chupa-lho ela torce-se toda , passa a lingua entre as beiças e lambe-lhe a côna , ela aperta a cabeça dele contra a côna , dá um gemido , ela esfregava a côna na boca dele , se até ali ela tinha-se contido nos gemidos a partir dali começa a gemer sem control , eu não aguento a tesão , tiro a piça das calças e toco uma , era impressionante como ela se esfregava na cara dele , ela pára de a lamber , ela arfava , a côna brilhava , ele quando me vê com a piça de fora pergunta-me se não queria participar , digo que não que só queria ver , ele a sorrir pergunta-me então o que eu desejava ver , eu sem nem pestanejar digo-lhe que queria vê-lo a fodê-la , ela sorri para mim , passa a mão na côna e abre ainda mais as pernas , ele sorri e diz-me seja feita a sua vontade , põe-se de joelhos entre as pernas dela , encosta a piça á côna e enfia-lha , ela dá um gemido enorme , ele começa logo a martelar forte , ela revirava os olhos , mordia o lábio , abanava a anca com força , eu agarrado á minha via a piça dele a entrar e sair dela , não demorou muito que ela começasse a estrebuchar e vem-se , quase caía do sofá de tanto se mexer , ferrava na almofada para não gritar , acalma um pouco , ele continua a martela-la forte , volta a perguntar-me se não queria participar , volto a dizer que não , ela começa a agitar-se outra vez , ele diz-lhe que ela podia gritar á vontade que ninguêm ligava , realmente tambem ouviamos os do lado a gritar , ela liberta-se e grita á vontade , talvez por ter ouvido a do lado a dizer para o tipo a foder , ela começa tambem a dizer-lhe para a foder , cada vez ficava mais agitada , era fácil de perceber que ía voltar a vir-se bem depressa , nem um minuto demorou e explode aos gritos , ele anuncia que se vinha tambem , ela histericamente diz-lhe para se vir dentro , ele olha para mim , eu encolho os ombros , ele acelera e esporra-se dentro dela , quando tira a piça da côna vejo a esporra dele a sair-lhe de lá de dentro , ela estava encharcada , grande leitada ,ele vai ao pequeno armário tira um rolo de papel de cozinha e dá-lhe , ela limpa-se , ele diz-lhe que ela era uma grande foda , eu continuava agarrado á minha piça , ele diz-lhe para ela ma mamar , ela chega-se a mim e começa a mamar , nem um minutos levei a descarregar a minha porra toda na boca dela , limpamo-nos , ela ajeitasse , acabamos de beber o champagne , saímos da sala e despedimo-nos do fulano , saímos do bar e regressamos a casa . Depois desta vez já voltamos ao bar mais 3 vezes em todas elas estivemos com um fulano diferente , e na ultima vez alem do fulano que a comeu ouve outro a quem ela mamou na casa de banho . De vez em quando ainda fazemos os nossos passeios de Metro , alem disso ouve uma vez que ela foi comida em nossa casa por um amigo nosso . Se quiserem saber como foi perguntem para Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar

Ler mais: Traições



Adicionar aos teus Social Bookmarks favoritos
Reddit! Del.icio.us! Mixx! Free and Open Source Software News Google! Live! Facebook! StumbleUpon! TwitThis Joomla Free PHP
 

Uma tarde no motel

Esse conto foi relatado por minha querida esposa e é verídico. Vou contar uma experiência que tive... Meu marido há um tempo atrás me propôs de termos um relacionamento aberto... Confesso que não gostei a principio mais com o tempo fui me acostumando com a idéia... E processando isso dentro de mim... Aos poucos tudo foi se encaixando... Tenho um amigo e decidi que seria ele... Conversei com meu marido e ele concordou... Sou casada e dona de casa e como tenho filhos pequenos. É difícil ter uma oportunidade de sair... Um dia ele chegou na minha casa e como já tínhamos trocado alguns beijos não demorou pra que despertasse a vontade de transar... Meu marido pediu que fosse naquele dia... La na minha casa... Relutei mas acabei concordando... Ele chegou e ficamos nos beijando... Logo começamos a nos acariciar... O tesão foi aumentando cada vez mais... Já dava pra sentir minha boceta molhada... Ele começou a me beijar com mais ardor... Ele me colocou em cima da estante do computador e começou a beijar minhas pernas... Alcançando logo minha boceta que a essa altura já estava encharcada... Com pressa por medo de chegar alguém ele tirou o pau dele pra fora... Que, digamos de passagem, deve ter uns 21 ou 22cm... Puxou-me com força e penetrou aquele pau duro e quente na minha boceta... Senti meu corpo estremecer de tanto tesão... Fodemos ali mesmo... Gozei bastante... Feito uma cadela... Depois ele foi embora... Ficamos bastante tempo sem nos falar... Confesso que não foi fácil pra mim... Mas foi tentador... Um dia resolvi ligar pra ele e marcar um novo encontro... Fora de casa... Era um sábado... Ele me buscou e fomos pra um motel... Chegamos la meio sem graça... Começamos a descobrir o local... Luzes... Banheira... Teto solar... tudo parecia muito envolvente... Fomos até a banheira e colocamos pra encher... Depois fomos pro quarto esperar... Na medida em que ela ia enchendo íamos nos beijando e quebrando aquele clima tímido... Ele tirou minha blusa, meu sutiã e beijou os meus seios... Tirou minha calça e ficou me observando ganhei um monte de elogios pois, embora já tenha tido 2 filhos, tenho um corpo de dar inveja a muita mulher da minha idade... Tirou minha calcinha e fomos pra banheira... A água estava quente... Minhas mãos geladas... Entramos naquela água quente e começamos a nos beijar... Logo o pau dele encontrou minha boceta que estava fervendo de tanto tesão... Começamos a foder ali mesmo... Ele apertava meu corpo pra junto do dele... Eu estava sentada e senti o pau duro e quente dele na minha boceta... Ficamos ali por um tempo... Decidimos que tínhamos que ir pra cama... Antes de sair da banheira eu fiquei em pé e ele chupou minha boceta... Uma língua quente e gulosa... Saímos da banheira e fomos pra cama... Ele me chupou de novo e enfiou o pau dele na minha boceta novamente... Eu já estava louca de tesão... ele empurrava... Fiquei de quatro e depois de algumas bombadas eu gozei... Demorou um pouco mas gozei muito... Ai ele parou, deitou do meu lado e acariciava minhas costas com as pontas dos dedos... Eu ainda não estava satisfeita mas decidi ficar um pouco parada... Conversamos um pouco e depois nos beijamos de novo e o clima acendeu novamente... Aí foi minha vez de chupar aquele pau grande que latejava de tanto tesão... Logo começamos a transar novamente... Tinha hora que ficava sentada em cima dele... Hora de quatro... Papai e mamãe... Mas no fim fiquei sentada naquele pau duro... Dessa vez não demorou muito pra que eu gozasse de novo e ele depois que me fez gozar bastante também sentiu vontade mas pedi pra que não gozasse dentro de mim... Então ele pediu pra que eu saísse de cima dele e tocou uma punheta... Notamos que nosso tempo estava no fim... Fui no banheiro e me lavei por fora porque meu marido queria ver minha boceta do jeito que tinha ficado quando eu chegasse em casa... Fomos embora dali e quando cheguei em casa, liguei pro meu marido avisando que tinha chegado... Ele foi correndo pra casa pra saber como tinha sido... Comecei a contar e logo já estávamos transando... Foi maravilhoso... Meu marido chupou minha boceta antes penetrada por outro pau... Ele estava morrendo de tesão e eu também... Fico por aqui... Não sei se terei no futuro outra experiência pra contar... Mas deixo essa que foi boa e prazerosa...

Ler mais: Traições



Adicionar aos teus Social Bookmarks favoritos
Reddit! Del.icio.us! Mixx! Free and Open Source Software News Google! Live! Facebook! StumbleUpon! TwitThis Joomla Free PHP
 

Não passo sem sexo

Olá meus caros amigos , começo por me apresentar , chamo-me Ana tenho 44 anos , sou casada , tenho dois filhos , vivo no Porto , trabalho num escritório , como já disse sou casada com o António , é um bom marido , um bom pai , amo-o muito mas para ser sincera sexualmente não me consola muito , apesar dos esforços dele os 14 cm que tem não me dão o que preciso e gosto . Antes de o conhecer tive alguns namoros e fiz sexo com todos eles , nos primeiros anos de casada mantive-me fiel , ao fim de uns 5 ou 6 anos tive o primeiro caso com outro homem , desde aí e até agora para falar a verdade não sei quantos me tiraram as cuecas mas foram bem mais que uns 30 , e os que mamei bem esses foram ainda mais , posso dizer que me deixo levar com muita facilidade , já fui fodida em muitos lugares , desde carros , vão de escada , no mato , casas de banho , moteis , no escritório , e mais alguns sítios , só mamadas bem isso não deve haver sítio onde não as fiz , só na empresa onde trabalho já mamei todos , ontem por exemplo mamei dois , outra coisa de que tenho pena do meu homem é quando por exemplo estamos numa festa da empresa a forma como alguns o olham , na ultima festa ( este Natal ) fiz 4 mamadas e fui fodida por dois , enquanto o meu marido estava entretido na conversa eu entretinha-me com umas piças , conheci paus de todos os tamanhos e grossuras , o maior e mais grosso tinha 26cm por 10 , era um barrote , apesar de nunca me ter falado no assunto sei que o meu marido sabe que é corno , sabe que não me consola e que por isso procuro consolo noutros lados , ás vezes tenho pena dele , quando fazemos amor e ele se apercebe que eu precisava de mais fica desolado e muitas vezes que faço com ele depois de fazer com outro ele nota bem que estou mais larga , mas nunca disse uma palavra sobre isso , ás vezes chego a pensar que ele até gosta que eu lhe ponha uns valentes pares de cornos , porque muitas vezes ele quando me come depois de outro fica bem mais excitado , é geralmente nessas alturas que ele me come tambem o cu . Como já disse deixo-me engatar com muita facilidade , os homens comigo não precisam de suar muito para me tirar as cuecas como por exemplo o ultimo que me engatou , engatou-me no café onde vou todos os dias depois de sair do trabalho ás 18h , estava a chover e comentei com a colega que estava comigo que me ía molhar toda , o fulano que estava na mesa ao lado ( já o tinha visto lá muitas vezes ) oferece-me boleia , com a maior á vontade respondi-lhe que aceitava , não demorou muito que estivesse no carro dele , ao sentar-me desapertei o casaco e fiquei com as coxas todas visiveis , ( em geral ando sempre de mini-saia ou pelo menos um bocado acima do joelho ) tambem não demorou muito que ele tivesse uma das mãos nas coxas , e a minha estivesse a apalpar-lhe a piça , como seria de esperar , fomos para um local sossegado e escondido , ( trazeiras do cemitério da Vilarinha ) , mal parou o carro beijou-me logo , fizemos um linguado bem demorado , enquanto as linguas se entretinham as mãos dele apalpavam-me toda , as mamas já estavam fora da blusa , deixa de me beijar e chupa-me os bicos , é uma das coisas que me põe logo a escorrer , enquanto me chupava os bicos a mão entretinha-se a mexer-me no grelo , a minha agarrava-lhe a piça e que maravilha de piça , não demorou muito que os bancos estivessem deitados e que a tivesse na boca , mamei-o uns bons 5 minutos , nessa altura as minhas cuecas já tinham desaparecido e tinha 3 dedos enfiados na côna , mas eu queria era aquela piça bem enfiada em mim , digo-lhe para me foder , escachou-me as pernas e montou-me , mal enfia a cabeçora da piça dou um grito , digo-lhe para a enfiar toda , não demorou muito a senti-la a bater no fundo da côna , aos gritos digo-lhe para me foder , enquanto me martelava a cõna bem forte chupava-me as mamas , não demorou muito que tivesse um orgasmo bem violento , gritei como uma louca , felizmente não havia ninguêm perto , mais uns 2 ou 3 minutos e ele encheu-me a cona de esporra , fui para casa sem cuecas e com a côna esporrada . Hoje , dia que estou a escrever já tive a minha dose de esporra , ou antes tive dose tripla , a meio da manhã , mamei o paquete , um moço com 19 anos e com uma piroca que deixa qualquer mulher a trepar pelas paredes , estava na arrecadação , tinha ido buscar papel para a minha impressora quando ele entrou , mal chega á minha beira diz-me que estava com muita tusa , abraçou-me por trás e roçou-me o pau bem duro no cu , como já vos disse é preciso muito pouco para me deixar a ferver , fomos para o fundo da sala atrás das estantes , pus-me de joelhos e mamei-o , enquanto o mamava apalpava-me as mamas , esporrou-se na minha boca , engoli até á ultima gota , ás 17h um dos vendedores veio ao meu gabinete , pôs-se ao meu lado e roçou-me o braço com a piça , não demorou muito que estivesse com a piça dele na mão , mamei-o e esporrou-se nas mamas , ás 18h o patrão ( um homem de 59 anos com muito charme e com uma piroca muito boa ) chamou-me para falar-mos sobre um cliente , estava sentada de frente para ele com a saia de maneira a que ele tivesse uma boa visão das coxas e de um pouco da cueca , depois de tratar-mos dos assuntos profissionais , ele levantou-se fechou a porta á chave e começou a despir-me , ele adora as minhas mamas , chupou-mas uns 10 minutos , ela sabe tambem que quando mas chupam fico doida , depois de me deixar bem acesa e com a côna a pingar dobrou-me sobre a secretária dele e fodeu-me , nem uns 2 minutos demorei a vir-me , tive de fazer um esforço enorme para não gritar , mais uns 4 ou 5 minutos e levei com a esporra dele toda bem no fundo da côna , vesti-me e fui para casa . Quando cheguei a casa e fui dar um beijo ao meu marido ainda tinha o cheiro da esporra do outro nas mamas e a côna ainda com a esporra seca do meu querido patrão . Na empresa só 3 me fodem , e desses 3 só o patrão me come tambem o cu , os outros levam umas mamadas e umas punhetas , e ás vezes alguns venhem-se nas mamas . Como disse o maior pau que me comeu tinha 26 x 10 cm foi uma loucura , aconteceu em Março de 2008 , fui a uma Exposição em Paris em representação da empresa , encontrei lá vários clientes , logo no primeiro dia um deles passou quase o dia todo atrás de mim, já cá ele tinha varias vezes mandado uns piropos , convidou-me para jantar , aceitei , á saída da exposição ele estava á minha espera , fomos de táxi até ao meu hotel , deixou-me lá , fui tomar um banho e mudar de roupa , ás 19h30 desci , ele estava á minha espera na recepção , quando me viu diz-me que estava deslumbrante , realmente estava , um vestido preto com um grande decote , sem soutien , a saia um pouco acima do joelho , bem maquilhada e bem penteada , chama um táxi , mal me sentei no táxi a saia do vestido subiu até mais de metade das coxas , ele não tirava os olhos delas , eu sabia que sempre que me ponha um pouco para a frente o decote mostrava as mamas por isso inclinei-me varias vezes , sempre que o fazia ele ficava de olhos arregalados , quando chegamos ao restaurante ele pediu uma mesa ao fundo num canto bem discreto , sentamo-nos frente a frente , ele estava obsecado com o meu decote , por várias vezes me toca nas mãos , eu dava alguns jeitos para ele ver melhor as mamas , depois de comer-mos as entradas , arranjei uma desculpa para passar para o lado dele , disse-lhe que a luz me dava nos olhos , sentei-me ao lado dele , deixei de proposito a saia quase toda subida , se ele se inclinasse um pouco via a cueca , bem passou quase o tempo todo inclinado , enquanto esperavamos pela sobremesa ele aventura-se e começa a acariciar-me as coxas , abro um pouco as pernas para lhe facilitar o acesso até á cueca , ele nessa altura viu que tinha carta branca para aproveitar , nem uns 10 segundos demorou a que sentisse a mão a tocar-me na côna , nessa altura pousei a minha mão sobre o pau dele , apanhei um susto , senti qualquer coisa descomunal , fiquei completamente molhada só de pensar no tamanho daquilo , entretanto vem a sobremesa , enquanto comia aquele papo não me saía da cabeça , sentia-me encharcada , os bicos estavam quase a furar o tecido do vestido , ele acaba a sobremesa primeiro que eu e volta a por a mão , puxa a cueca um pouco ao lado e mexe na côna , mal me toca estremeço toda , então quando passa a outra mão pelo peito e me roça os bicos , quase que me vinha ali mesmo , acabo de comer e volto a por a mão sobre o pau , parecia ainda mais grossa que anteriormente , ele beija-me a orelha e diz-me que me desejava , sorrio , aperto-lhe o pau , isto é tento mas só apanho metade , quando ele me diz se eu queria ir até ao hotel dele beber um copo , digo-lhe logo que sim , pediu a conta , pagou e saímos , apanhamos um táxi , mal nos sentamos e logo a seguir a ele dizer ao condutor para onde era , passa o braço pelo meu ombro e deixa a mão escorregar pelo decote , apalpa-me uma mama e depois a outra , com a outra mão puxa-me um pouco a cabeça e beija-me na boca , fazemos um linguado , diz-me que o condutor estava a apreciar pelo espelho , sorrio , pergunta-me se queria que parasse de me tocar , digo-lhe que não , que não havia problema que olhasse á vontade , volta a meter a mão nas mamas , com o mexer uma sai do vestido , o fulano olhava pelo espelho , quase nem olhava para a estrada , meto-a para dentro , voltamos a fazer um linguado , nessa altura o meu telefone toca , era o meu marido , digo-lhe que tinha estado a jantar e que ía para o hotel para dormir , enquanto falava com o meu marido ele continuou a apalpar-me as mamas , mal desligo fazemos outro linguado , enquanto nos beijava-mos apalpo-lhe a piça , ele abre a carcela e meto a mão dentro das calças , toco naquele pau enorme , ainda tento puxa-lo para fora das calças mas não dava , chegamos ao hotel , saímos do táxi e fomos para o bar do hotel , estavamos sózinhos , escolhemos uma mesa relativamente escondida , mandou vir uma garrafa de champagne , brindamos bebemos um trago e beijamo-nos , enquanto faziamos um bom linguado ele acariciava-me as coxas , pouco a pouco vou abrindo-as , ele vai subindo a mão até me tocar na côna , estremeço e dou um gemido fraco , ele aperta-me mais contra ele , passa os dedos nas beiças da côna , e deixa um dedo mesmo á entradinha , começa a mexer o dedo , beijamo-nos ainda com mais vontade , as linguas entrelaçavam-se uma na outra , a minha vontade era gemer sem parar e bem alto , paramos o beijo e pergunta-me se queria acabar a garrafa no quarto , quase sem folego digo que sim , ele chama o empregado e pede-lhe para mandar a garrafa para o quarto , levantamo-nos e vamos para o elevador , mal a porta fecha ele abraça-me por trás , aperta-me contra ele sinto aquele pau duro contra as nadegas , chegamos ao andar saímos e entramos no quarto mal fecha a porta beijamo-nos , tira-me as alças do vestido e lambe-me as mamas , lambe-as uns 2 ou 3 minutos e diz-me que adorava aquelas mamas , batem á porta , vou para a casa de banho e ele abre a porta recebe a bandeja e vai ter comigo , voltamos a beijar-nos , desce-me o vestido fico só em cueca , apalpo-lhe a piça , ela abre as calças que caem logo no chão , quando vejo a piça fico paralizada , que monstro , toco-lhe , aperta-me contra ele e mete a mão dentro da cueca , desce-ma e passa a mão pelo cu , mete a piça no meio das minha pernas , a cabeça ficava de fora do outro lado , roça-me com ela , eu estremecia , gemia , sei lá que mais , estava perdida de todo , leva-me até á cama deita-me , abre-me as pernas e lambe-me , eu olhava estasiada para aquele pau , que coisa louca , só de imaginar aquilo dentro de mim levava-me á loucura , peço-lhe para me deixar mamar , lambo-o , tenho de abrir a boca toda para conseguir abocanhar só a cabeça , até me doía o maxilar , chupo-o o melhor que posso , tira a piça da minha boca , mete-se no meio das minhas pernas e roça-me a côna com a piça , quase aos berros digo-lhe para me penetrar , mal começa a meter sinto a côna a escachar toda , era um misto de dor e de um prazer total , nunca me tinha sentido tão cheia , era uma sensação fantastica , sentir aquela piça a bater no fundo e ver ainda piça de fora , devo ter tido o orgasmo mais rapido e mais violento que me lembre , nem um minuto ele me martelou e já eu explodia num orgasmo violento , via tudo á roda , tremia sem parar , o corpo todo em espasmos , nunca tinha sentido uma piça a bater assim no fundo , apesar de alguma dor era fantástico , ele entrecalava entre marteladas fortes e bem lentas , trazia a piça até á entrada e voltava a meter bem lentamente , era uma sensação louca sentir aqueles cms todos a penetrarem-me quando chegava ao fundo dava uma estocada forte , tinha a sensação que ía furar-me , sempre que o fazia parecia que me empurrava tudo , parecia que o estomago me saía pela boca, tinha sensações até ali desconhecidas , basta dizer que apesar de ser uma mulher que atinge o orgasmo com facilidade nunca tinha tido 5 orgasmos em menos de 10 minutos e cada qual o mais violento chegando ao ponto de quase perder os sentidos , ele quis mudar de posição , diz-me para me pôr de quatro , se quando estava por cima de mim me martelava forte , bem , a meter de quatro então era mesmo de enlouquecer , quando se vem e sinto ps jactos de esporra a baterem no utero foi como se tivesse sido atingida por uma descarga electrica , até saltava da cama , demorei uns 3 ou 4 minutos a conseguir acalmar , ele sai de mim lentamente , caio na cama completamente estourada , tenho impressão que nem depois do trabalho de parto estava tão cansada , passados uns 10m ainda sentia o corpo em espasmos . Depois de uns 20m a descansar-mos fomos tomar um banho , voltamos á cama , ficamos abraçados a acariciarmo-nos , disse-lhe que tinha sido a melhor foda que tinha tido na minha vida , ele muito gentilmente diz-me que eu tambem tinha sido a melhor dele , diz-me que estava com fome , eu para ser sincera tambem , liga para a recepção mas o bar já estava fechado , vestimo-nos e fomos a um bar ali perto , comemos um bife cada um , bebemos bem e depois quando saímos ele convida-me para passar o resto da noite com ele , aceito , voltamos ao hotel . Estavamos os dois deitados e bem agarradinhos quando ele começa a beijar-me as mamas , desce pela barriga até á côna , mal a lingua toca no grelo estremeço toda e dou um grande gemido , toco-lhe na piça , estava novamente bem dura , ele pergunta-me se a queria outra vez , nem sequer pestanejei respondo logo que sim , ponho-me logo em posição para receber a piça , antes de me penetrar passa a piça entre as beiças , leva-a até ao cu , volta á côna e esfrega-a , volta a passar pelo cu , começo ter tesão no cu , faço força contra a piça , eu sabia que ía custar muito mas mesmo assim insisto , continuo a fazer força , cada vez tinha mais vontade de ser enrabada , ele diz-me que ía buscar uma coisa , vai á casa de banho e volta com uma bisnaga de baselina , besunta-me o cu todo , besunta a piça tambem , encosta ao meu olhinho e começa a fazer força , mal a cabeça começa a abrir caminho sinto uma dor tremenda , grito de dor , ele puxa atrás volta a por mais baselina , volta a meter a cabeça , a dor continua muito forte , apesar da dor eu queria , digo-lhe para continuar , dá uma estocada mais forte e a cabeça entra toda , grito a plenos pulmões , fico com a sensação que me tinha estourado as pregas todas , a dor era terrivel , mesmo assim tento aguentar , pouco a pouco a dor vai aliviando , ele vai metendo mais muito lentamente , metia um pouco e parava , ficava assim quieto uns segundos largos , metia mais um pouco e voltava a parar , sempre que enfiava mais um pouco eu gritava , devo ter acordado as pessoas dos quartos vizinhos , bem foram precisos uns 7 ou 8 minutos para ter pelo menos metade da piça enfiada , a dor estava já suportável , ele começa com o vai e vem , era maravilhoso , os gritos de dor começam a dar lugar aos gemidos de tesão , agora gritava era para ele não parar , mais uma vez tenho sensações até ali desconhecidas , era um prazer louco , pela primeira vez tenho um orgasmo a fazer anal , era diferente de tudo o que tinha sentido até ali , era como se tivesse a ver outra pessoa a ter um orgasmo , parecia que não era eu , sentia a côna a contrair-se e a distender , era como se tivesse ganho vida própria , nesse momento sinto algo que nunca consegui descrever , era como que algo que me arranhasse as paredes da côna , parecia mesmo que sentia alguma coisa a arranhar-ma , parecia que cresciam papos que desapareciam para voltarem logo a seguir e escorria um liquido pegajoso em grande quantidade , parecia que me estava a mijar tal era a quantidade que escorria , sei que perdi completamente a noção de tudo durante uns segundos , foi como se ficasse a flutuar , recupero lentamente , ouvia-o como se estivesse longe a dizer que se vinha e sinto a esporra a invadir-me o cu , que maravilha , muito lentamente vai tirando a piça do cu , quando sai sinto um vazio , levanto-me muito devagar , custava-me a andar , vamos para a banheira. Voltamos á cama deitamo-nos e adormeci rapidamente abraçada a ele , acordei eram 10h05m com o meu telefone a tocar era o meu marido , atendi-o , ele nota algo na minha voz , digo-lhe que estava um pouco rouca mas que estava tudo bem , desligamos , mal acabo de desligar e olho para a porta da casa de banho vejo-o a sorrir para mim , dá-me os bons dias juntos com um belo beijo , diz-me que tinha o pequeno almoço na mesa , levantei-me e tomei-o , o cu doía-me , tenho de me sentar ligeiramente de lado , vou tomar um banho visto-me e saímos os dois para a exposição , antes passo pelo meu hotel para mudar de roupa . Ao meio dia vou almoçar com ele , combinamos que á noite ele me ía buscar ao meu hotel ás 20h para jantar , ás 17h saí da exposição e fui para o hotel , preparei-me e ás 20h estava na recepção á espera dele quando ele chega , vamos jantar ali perto , um jantar ligeiro e passada uma hora e pouco estavamos no meu quarto a foder como loucos , foi assim até regressar , foram 4 noites de loucura , depois do regresso continuamos a dar umas fodas , ainda hoje pelo menos de 15 em 15 dias temos encontros bem quentes . Se alguêm quiser saber mais alguma coisa pode e screver para Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar

Ler mais: Traições



Adicionar aos teus Social Bookmarks favoritos
Reddit! Del.icio.us! Mixx! Free and Open Source Software News Google! Live! Facebook! StumbleUpon! TwitThis Joomla Free PHP
 

Pedia para minha esposa dar para outro e ela deu

Eu de namoro e casamento já fazem 18 anos e Apesar dela ser uma coisa de louco (31 anos, 1,48m, 50 kg, moreninha de cabelos lisos , olhos castanhos, um rostinho de anjinho a diabinha, peitinhos pequenos, uma bundinha super arrebitada de colocar inveja em muita mulher, enfim, uma princesa, um encanto). Gosto muito de conversar sobre sexo, afim de melhorar a situação falei com ela que tínhamos que apimentar um pouco mais nosso casamento. Nós fazemos muitas coisas diferentes e excitantes, como brincar com o consolo de 21cm dela enfiando em sua bucetinha e mudando constantemente nossas posições. Nossas trepadas melhoram mesmo, e nossa intimidade também. Eu já a chamava de putinha e tudo. Vez em quando víamos filmes pornô, e minhas fantasias começaram a aparecer. Eu Fantasiava principalmente com uma terceira pessoa na cama (mulher). Às vezes me imaginava comendo outra, Estela (nome ficticio) nunca me relatou de suas fantasias o que me deixava perplexo e desnorteado. Com o tempo, a fantasia que mais me excitava deixou de ser “eu com outra” para ser “ela com outro”. Comecei a ler contos eróticos sobre corno. Adoro essas histórias com “putas e cornos”. Então comecei a enviar contos para minha esposa juntamente com fotos e muitos videos para desperta-la. Confesso que procurava enviar fotos de caras com Piroca bem grande pois essa era a tara dela notava em seu olhar e o quanto ela se exitava. Como eu tinha sido seu primeiro namorado, e ela teve só um caso sem importância e experimentou em todo esse tempo que tenho com ela apenas dois paus o meu que é quase que diario e uma tranza rápida que ela nem lembra direito com um ex namorado. Ela freqüentemente admirava as fotos de pica grande e eu pensava no que rolava na cabeça dela é que será que ela um dia vai dar para um cara de pau bem grande, como dos anúncios e de alguns filmes. Não que eu tenha o pau pequeno – tem 16 cm de comprimento por 9cm de circunferência e deixo ela louca de tezão. Cerca de 5 meses tive uma conversa franca com ela e falei do meu desejo que era ela fuder com outro cara então ela disse que iria tentar, a resposta que ela me deu me deixou louco de tezão. Ela então recomeçou um investida em um rapaz que ela já havia ficado só de beijinho com meu concentimento confesso que no inicio fiquei com ciúmes(normal) e tesão: Embora ela fala que eu satisfaço ela na cama acho eu que ela sentia o desejo de ter uma vara de uns 21cm dentro dela. A POSSIBILIDADE DE TUDO SE REALIZAR Um belo dia precisava comprar algumas coisas na cidade vizinha e Estela se prontificou a ir e pediu ao Paulo se tinha como traze-la de volta, ele disse que sim, deixei então ela ir comprar algumas coisas e fui claro com ela pois não aceitaria que ela chegasse em casa sem uma historia ou seja, meter gostoso com ele e que eu queria saber todos os detalhes, então lá foi minha gostosa esposa para outra cidade comprou o que tinha que comprar e ficou esperando Paulo sair do serviço. Após dar o horário eles foram para um local mas tranqüilo e ela então propôs a ele para que fosse em um motel, no que foi de imediato. Chegando lá ficaram meio sem graça e ele foi tomar banho e logo em seguida que ele saiu do banho ela viu que a pica do cara era enorme e que mole era a minha pica dura, ela correu para uma ducha para quebrar o gelo, pois estava nervosa, depois de um dado momento começaram se acariciar e ele então começou a chupar a bucetinha dela deixando ela louca, quando ela percebeu que chegou a vez dela pagar um boquete que só entrava a cabeça na boquinha dela, ficou desesperada devido ao tamanho da piroca do cara achou que não iria aguentar aquilo tudo dentro de sua bucetinha. Devido a alguns contratempos eles não transaram tiveram que ir embora. Confesso que quando ela me relatou isso deu medo e pensei em desistir ficava morrendo de ciúmes dessa proximidade, no dia após isso tudo acontecer fiquei meio que caladão, era porque tenho muito medo de perder minha esposa que amo muito e olha que nem havia acontecido a penetração. COMO TUDO ACONTECEU Após o fato acima acontecer com Paulo e ela me contar morri de tesão e neste dia a transa que tivemos e uma das quais me marcou muito, pois sou louco pela bundinha de minha esposa na qual ela estava bem relaxada comi aquele cuzinho gostoso onde entrou tudo, ela parecia que estava pedindo mas de tanto tesão, foi delicioso, gozei muito neste dia igual um louco. Após passar alguns dias e tentando que o fato da penetração entre eles acontecesse, falei para ela que deveria acontecer tudo em nossa casa, coisa minha. Quero me sentir seguro por estar perto de mim sabe como é nós homens que amamos e temos medo de perder nosso amor. Voltando ao assunto ela teve muito medo derrepente de alguém da família aparecer, mas tranqüilizei ela e ela então aceitou. No dia 09/04/2009 apos ela conversar com ele pelo telefone durante o dia para acertar tudo, ficou marcado para às 18:00h, mas ele se atrasou e chegou às 19:00h o que aconteceu foi narrado por minha esposa para mim. Após a chegada dele começaram a se pegar ele passava a mão nela e ela também dava uns apertos nele, num dado momento Paulo colocou minha linda esposa sentada na mesa do computador e começou a chupa-la deixando ela louca de tesão e toda molhadinha, foi quando ele colocou os 21cm de pau pra fora ela nem pensou na camisinha ( louca )começaram num sexo gostoso ele começou a forçar na buceta de minha querida esposa que entrou fácil devido ela estar molhadinha, até então ela só dava para mim que confesso é uma buceta linda, ela relatou que passava mil coisas em sua cabeça e pensava muito em mim chegou um certo momento que ela ficou com vontade de rir. Paulo bombava, empurrando os lábios da bocetinha dela para dentro. Estela gemia baixinho ficou louca de tesão, ele tirava e enfiava não tinha entrado tudo quando ela já parecia ter se acostumado ele forçou e enfiou todo o resto de uma só vez. Ela deu um gritinho e começou a gemer um pouco mais alto eu pensei que ela não conseguiria deixar acontecer, pois ela sempre foi muito recatada e contra essas coisas ( história né, acho que era pura vergonha de falar para mim ), Paulo enfiava aquela pica com força, deixando a xotinha dela vermelhinha. Ela gemia de tezão e eu na nossa loja imaginando como ela estava sendo arregaçada, que o pau dele estava batendo no fundo de sua xoxota e ela ficando louca. Após decorrer uns 15 ou 20 minutos de sexo Estela gozou loucamente soltando um gemido de prazer coisa que nunca aconteceu comigo até então e o mas louco disso é que comigo ela demora a gozar em torno de 40 minutos, ou seja, cheguei a conclusão de que ela estava louca por receber uma piroca bem grande, agora poço dizer que minha esposa é uma putinha de dois homens. Ela falou que não vai parar de dar para ele, pois gostou muito, agora vou convence-la de transar com nós dois, pois serei o homem mas realizado do mundo e sei que ela vai fazer isso por mim.

Ler mais: Traições



Adicionar aos teus Social Bookmarks favoritos
Reddit! Del.icio.us! Mixx! Free and Open Source Software News Google! Live! Facebook! StumbleUpon! TwitThis Joomla Free PHP
 
Pág. 1 de 3

Encontros Íntimos

Encontros Amorosos